Você está aqui: Página Inicial / Subprojetos / Química

Pagina Inicial

O subprojeto PIBID-Química do Instituto Federal Fluminense (IFF) câmpus Campos Centro pretende buscar uma maior aproximação entre os diversos atores do processo educativo por meio da utilização da abordagem Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente (CTSA) no estudo de temas científicos e tecnológicos potencialmente problemáticos no contexto local e regional, qual sejam, as atividades industriais de petróleo e de açúcar e álcool na região Norte Fluminense do Estado do Rio de Janeiro. A escolha desses temas reflete a vocação original da nossa Instituição de Ensino, que desde a década de 1970 vem oferecendo o curso técnico em química como forma de atender as indústrias petrolíferas e sulcroalcooleiras, bases da economia do município de Campos dos Goytacazes.
Nossa proposta vai ao encontro das ideias vislumbradas nos Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (PCNEM), bem como de suas orientações complementares, ao destacar a necessidade de que "o aluno reconheça e compreenda, de forma integrada e significativa, as transformações químicas que ocorrem nos processos naturais e tecnológicos em diferentes contextos (...) e suas relações com os sistemas produtivo, industrial e agrícola"  (PCN+, 2002, p 87). Sendo assim, justifica-se a utilização da abordagem CTSA como forma de estimular o engajamento de licenciandos, professores e estudantes de ensino médio do colégio estadual parceiro, na busca compartilhada da compreensão de aspectos científicos, tecnológicos, sociais, ambientais, políticos e econômicos relacionados aos nossos temas de interesse.
As ações planejadas, descritas a seguir, são também ressaltadas pelos PCNEM. Segundo este, os professores devem adotar diferentes recursos de ensino, como: experimentação, estudos do meio (deslocamento do ambiente de aprendizagem), desenvolvimento de projetos, jogos, seminários, debates e simulações, entre outros. Nesta proposta, o aluno deve deixar de ser apenas um observador e passar a agir, interferir e questionar. Nesta proposta, o aluno deve deixar de ser apenas um observador e passar a agir, interferir e questionar, o que pode ser alcançado com a utilização de jogos e brincadeiras educacionais.
Para atender a aproximadamente 450 alunos matriculados em 10 turmas do ensino médio (1º, 2º e 3º anos) do Colégio Estadual José do Patrocínio (CEJOPA), contaremos com uma equipe formada por 01 professor coordenador da área de química, 01 supervisor (professor da educação básica) e 09 bolsistas de iniciação à docência, além de 01 professora colaboradora.
As ações a serem desenvolvidas pelos integrantes do projeto PIBID-Química do IFF envolvem seis principais frentes de trabalho, as quais estão descritas a seguir:

Primeira Ação: Currículo Mínimo de química e abordagem CTSA.

Propõe-se incorporação da abordagem Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente (CTSA) no currículo mínimo de química, com ênfase no estudo de temas científicos e tecnológicos que são potencialmente problemáticos para a região, tais como as atividades industriais de petróleo e de açúcar e álcool. Esta ação receberá contribuições dos demais subprojetos do IFF e envolverá os bolsistas no planejamento e na realização de atividades práticas experimentais voltadas aos alunos do colégio parceiro.


Segunda ação: Inserção do bolsista no ambiente escolar e reflexão sobre a prática docente.

Propõe-se a inserção dos bolsistas no ambiente escolar a fim de que os mesmos venham a conhecer os espaços físicos e virtuais, os recursos físicos, técnicos e humanos disponíveis para a realização das atividades propostas no presente subprojeto. É altamente recomendável que além do acompanhamento das aulas regulares, os bolsistas participem de conselhos de classes, reuniões pedagógicas e com pais de alunos, pois assim eles poderão refletir acerca da realidade inerente à sua prática docente.


Terceira ação: Reestruturação dos espaços físicos e virtuais

O colégio parceiro conta atualmente com diversos espaços escolares, físicos
e virtuais, tais como: laboratórios de informática e de ciências,
auditório, rádio escolar e blog. Para que esses espaços sejam mais bem
aproveitados, propõe-se a revitalização dos mesmos, no sentido de muni-los
com recursos materiais e humanos, de forma a viabilizar a realização de atividades regulares (experimentos de baixo custo, vídeos, jogos, dramatizações) e outras eventuais.

Quarta ação: Popularização da linguagem científica

Para destacar o papel das ciências e das tecnologias em nossas vidas, pretende-se realizar diversas atividades na escola parceira, como: criação de um jornal eletrônico de química, contemplando temas da atualidade na área; debates e leituras dirigidas acerca de temas científicos atuais; eventos de cunho científico, como oficinas e feiras de ciências.

Quinta ação: Leitura de textos científicos.

O objetivo dessa ação é fomentar, com base na leitura de textos científicos, as discussões envolvendo temas como: formação inicial e continuada de professores, natureza do conhecimento científico, epistemologia da ciência, estratégias inovadoras de ensino, métodos de avaliação, dentre outros temas. Essa ação deverá ser integrada entre os subprojetos e envolverá supervisores, bolsistas e coordenadores.


Sexta ação: Atividade de monitoria

Compreendem atividades de atendimento individual e/ou em grupos de alunos, que devem ocorrer com estudantes do colégio participante. Propõe-se a realização de exercícios e a discussão das questões do ENEM, bem como de outros vestibulares, com a finalidade de reforçar e ampliar os conhecimentos da área de química, articulando-os com as demais áreas contempladas com subprojetos, como Física, Biologia, Matemática e Português.

Acessar


Esqueceu sua senha?
« Setembro 2017 »
Setembro
DoSeTeQuQuSeSa
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Para melhor visualização, utilize:

 Mozilla Firefox